CM Mangualde

Póvoa de Cervães


 

História

 
A Freguesia de Povoa de Cervães pertence ao concelho de Mangualde, no distrito de Viseu e situa-se a uma distância de cerca de 11 quilómetros da sua sede concelhia. A sua área estende-se na margem direita do rio Mondego, com uma belíssima vista para a Serra da Estrela, Póvoa de Cervães tem por orago S. João Batista, celebrado todos os anos no mês de junho.
A toponímia local é reveladora da antiguidade do povoamento da região e território, onde se encontra; o topónimo que lhe atribuíram é atualmente composto por dois elementos: o primeiro, “Póvoa”, deriva do baixo-latim “popula” e do português arcaico “póvoa”, que tem o sentido de “terra entregue para ser povoada”, “Cervães”, o segundo elemento, deriva do baixo-latim “Villa Servandici”, de “a quinta de Servando”, o que faz alusão ao nome do antigo proprietário. No entanto, a tradição popular tem uma outra explicação para justificar a origem deste elemento do topónimo, que está relacionada com uma bonita ermida dedicada a Nossa Senhora de Cervães ou das Cervas, onde outrora se realizava uma das mais concorridas e afamadas romarias da região. Assim, diz a tradição popular que do título que puseram à Senhora, adveio o nome da freguesia, que até então apenas se chamava “Póvoa”. Reza a lenda que na primitiva ermida, apareceu certo dia a imagem da Nossa Senhora e, como o local ainda se encontrava desabitado, transferiram, em 1660, o templo para o local (monte), onde se encontra atualmente. Segundo a tradição, este local chamava se Monte das Cervas, pelo facto de ser um local onde abundavam as cervas, os veados e outros animais selvagens.

Póvoa de Cervães foi um curato de apresentação do abade de Cassurrães, no extinto concelho de Azurara da Beira e tinha 30 mil réis e o pé de altar.

Para além da já referida ermida da Nossa Senhora de Cervães ou das cervas, existe na freguesia uma outra capela, dedicada a Nossa Senhora dos Remédios, cuja construção foi iniciada em 1670, pelo Padre Domingues Dias, e terminada pelo sobrinho deste, o Padre José de Morais.
Ressaltam no património cultural e edificado de Póvoa de Cervães: a igreja Paroquial, a Capela de Nossa Senhora dos Remédios e a fonte de chafurdo.

Uma vez que esta é uma freguesia tipicamente rural, devido principalmente á sua localização na encosta de um outeiro, os seu habitantes dedicam se sobretudo à agricultura e à pastorícia; esta ultima, é uma atividade de longa tradição, contudo com tendência a desaparecer, o que se reflete na economia da freguesia.

População: 240 habitantes.

 

Heráldica

 

Brasão

brasao_povoa_cervaesEscudo de verde, dois cervos empinados e afrontados, de prata, realçados de negro e armados de ouro; em chefe, estrela de ouro; campanha ondada de prata e azul de cinco tiras. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco com a legenda a negro em maiúsculas : ” PÓVOA DE CERVÃES “.

 
 

Bandeira

bandeira_pvoa_de_cerves

Amarela. Cordão e borlas de ouro e verde. Haste e lança de ouro.

 

 

Selo

selo_pvoa_de_cerves

Nos termos da Lei, com a legenda: “Junta de Freguesia de Póvoa de Cervães – Mangualde”.

 
 

 

Caraterização da Freguesia

 

Atividades Económicas:

Agricultura
Pastorícia

Festas e Romarias:

Festa do Povo (Normalmente no 1º fim de semana de agosto)
São João (24 de junho)

Património:

Igreja Matriz
Capela de Nossa Senhora dos Remédios
Fonte de Chafurdo
Campas Monolíticas

Coletividades:

Associação Cultural e Recreativa Cervanense

Infraestruturas:

1 Campo de Futebol

Orago:

S. João Baptista

 

Contactos  União Freguesias de Santiago de Cassurrães e Póvoa de Cervães:

Presidente: Álvaro Martins de Matos (PS)
Largo da Fonte
3530-349 Santiago de Cassurrães