CM Mangualde

Travanca de Tavares


 

História

 
Situada na margem esquerda do rio Lodares, anteriormente designado Ribeira Chão, a freguesia de Travanca de Tavares está integrada administrativamente no concelho de Mangualde, distrito de Viseu, distando da sede concelhia cerca de catorze quilómetros. O seu orago é o Divino Salvador, celebrado anualmente na freguesia a 6 de agosto. Esta celebração remonta ao século v no oriente, sendo conhecida como a Festa da Transfiguração do Senhor. O episódio da transformação foi relatado pelos evangelistas Mateus, Marcos e Lucas como sendo a manifestação que Jesus era realmente o filho de Deus, o Salvador do Mundo.
O Topónimo principal desta freguesia é composto por dois elementos, sendo que o primeiro elemento parece derivar do baixo-latim “trabanca”, que tem o significado de “floresta cerrada, de árvores troncosas”; já o segundo elemento do topónimo, “Tavares” ter-se-ia aplicado como forma de distinção das várias povoações chamadas Travanca, usando-se para o caso, a existência do julgado medieval de “Tavares”, no qual a freguesia estava inserida.

O povoamento do território que corresponde à atual freguesia de Travanca de Tavares é bastante remoto, tendo em conta a proximidade de vestígios de edifícios castrejos. Na chronica Gothorum é referido o castelo de Travanca como tendo sido conquistado por Fernando I de Leão, juntamente com os de S. Martinho de Mouros e Penalva. No entanto, não existem quaisquer vestígios do dito castelo, pelo que se pode depreender que se trataria do castelo de Tavares, cabeça do antigo julgado medieval.

Ao que se sabe, a “villa” de Travanca era reguenga, sendo que em 1154 D. Afonso Henriques faz doação de cinco casais dela a Soeiro Tedões. Em 1183, o mesmo monarca doou a D, João Pires, Bispo de Viseu, uma outra herdade que possuía em Travanca de Tavares, concedendo todos os direitos e usufrutos que aí detinha. A freguesia esteve sempre integrada no concelho de Tavares, até que a 10 de fevereiro de 1852 este foi extinto e integrado como freguesia no concelho de Mangualde.

Eclesiasticamente, a paróquia de Tavares parece ter sido filial da de Santa Maria do castelo (Castelo de Tavares), pois ainda no século XVIII o abade de Tavares apresentava o cura de S. Salvador de Travanca.

Relativamente ao património cultural e edifício de Travanca de Tavares, é importante referir a Igreja Matriz, a casa dos Condes de Fornos de Algodres e o chafariz de Eiró; como locais de grande interesse turístico, destacam-se a zona dos moinhos de água e a quinta da Boiça.

A agricultura é a principal atividade económica desempenhada pela população local, sendo de realçar as suas produções cerealíferas.

População: 141 habitantes.

Heráldica

 

Brasão

braso_travanca_tavaresEscudo: De Ouro.

Coroa Mural: De Prata de três torres.

Listel: Branco, com a legenda a negro: “Travanca de Tavares”.

O Mundo Crucífero representa o orago local: O Divino Salvador.

As Espigas de Trigo representam a agriculturam, principal atividade económica desempenhada pela população local, sendo de realçar as suas produções cerealíferas.

As Burelas Ondadas e Rodízio representam o rio Lodares, na margem do qual se situa a freguesia, assim como a zona dos moinhos de água, de grande beleza e interesse turístico.

 

Caracterização da Freguesia

 

Atividades Económicas:

Agricultura

Festas e Romarias:

Senhor dos Caminhos (Sete semanas após a páscoa)
São Salvador (6 de agosto)

Património:

Igreja Matriz
Casa dos Condes de Fornos de Algodres
Chafariz de Eiró

Gastronomia:

Queijo da Serra

Infraestruturas:

1 Campo de Futebol
Parque Infantil

Orago:

S. Salvador

Contactos União das Freguesias de Chãs de Tavares, Várzea de Tavares e Travanca de Tavares:

Presidente: Alexandre Constantino (PS)
Chãs de Tavares
3530-031 Chãs de Tavares